Thursday, August 26, 2004

ÉTICA, GUERRA, TERRORISMO E CULTURA OCIDENTAL

A ética, termo mais erudito ou filosófico para moral e deontologia é no essencial o comportamento recomendado pela maioria em cada meio para maior utilidade social do grupo de pertença com idênticos valores. Com a globalização da Internet e novas tecnologias a moral, ética ou deontologia local contrasta muitas vezes com o interesse global ou universal.
A ONU pode ser a principal promotora de uma ética, deontologia e moral de maior utilidade social global de Internet e novas tecnologias. Muitos comportamentos e valores locais contrastam com o interesse global, melhor sobrevivência da espécie humana, melhor convivência de todos os povos sem guerras, terrorismo e contínuas lutas que podem terminar em injustiças com o benefício dos mais fortes.
Cada indivíduo tem a sua moral que pode ser mais ou menos concordante com a do meio em que vive, com o passado familiar ou coletivo da nação ou grupo de pertença, mais ou menos conforme ao presente ou orientada para o futuro, mais ou menos concordante com a família, local, nação ou global.
No passado as fronteiras foram quase sempre determinadas por guerras, a sobrevivência individual estava muito dependente da nação e o patriotismo foi considerado um dos valores éticos mais apreciados da maioria das nações. Os meios de informação e a dita "cultura" contribuiu para transformar em heróis personagens que encarnavam esses valores. Recordo a minha primeira manifestação política inconsciente: frente à Sé da Guarda no meio de outras crianças tão inconscientes como eu a rezar pela beatificação de D. Nuno Álvares Pereira. Passados mais de 40 anos compreendo as motivações ocultas, inconscientes ou culturais daquela ação político e religiosa: a política de Salazar pelo orgulhosamente sós, juntou-se à Igreja Católica para ressuscitar um morto cuja ideologia convinha aos seus projetos daquele momento: orgulho de um povo que tinha vencido Espanha e se considerava forte para enfrentar o mundo e continuar com a colonização.
Aquela minha manifestação política inconsciente faz-me lembrar hoje as manifestações de 1968 com bandeiras de Stalin, Mao e Che Guevara, do G8 de Génova com a sucessiva transformação de um marginal delinquente em herói, dos pacifistas com bandeiras de terroristas e guerrilheiros a queimarem a bandeira dos USA. Os manifestantes pela liberdade com as bandeiras de Stalin não sabiam que foram condenados à morte 17 milhões de pessoas por divergências de opinião. Um número incomparavelmente superior ao nazismo do tempo de Hitler onde, os condenados à morte por opinião, foram pouco mais de 3.000. Nas manifestações pela liberdade de opinião que eu vi em filmes e fotos de 1968 de Berlim, Paris e Roma, predominavam os piores assassinos contra a Liberdade de opinião: o regime de Mao-Tze-Tung causou 40 milhões de mortos por divergirem das ideias revolucionários do livro vermelho, mais 40 milhões de mortos por fome, devido ao comunismo ser menos eficiente do regime anterior. Ernesto Che Guevara mandou matar muitos agricultores só porque se opunham a ceder as suas terras ou divergiam das suas opiniões. Todos se consideram do lado do bem, justo, ético, moral, ... mas quanta ignorância e inconsciência semelhante à minha de criança? Muitas vezes parece-me que certa legalidade é mais criminosa de certa ilegalidade: as burocracias italianas para adoções parecem-me mais criminosas dos mafiosos que compram filhos de famílias numerosas pobres do Brasil para as venderem aos milionários italianos com adoções ilegais. Um juiz de Milão destruiu o hotel de uma aldeia turística que correspondia a cerca de 95% da economia local. Muitos trabalhavam nos meses de verão para viverem no inverno. Com a destruição do hotel por qualquer ilegalidade destruiu a economia local e provavelmente contribuiu à morte por falta de subsistência e poluição. Uma justiça que aplicasse uma multa ou sequestrasse o hotel para o alugar aos ex-proprietários nos meses de verão e alojamento dos que morrem ao frio em Itália durante o inverno parece-me mais justa. Os que trabalhavam no hotel e ficaram sem meios de subsistência contribuíram muito provavelmente ao aumento dos mortos por deficiente alimentação e poluição para construir outro hotel em sua substituição.

Que pensarão daqui por 40 anos da ética atual?
As éticas políticas predominantes no após guerra eram comunistas ou capitalistas, dos chamados explorados e exploradores. Com a queda do comunismo e a globalização da informação deixou de ser possível manter as mentiras de parte a parte. Os falidos do comunismo uniram-se aos no-global e terroristas islâmicos ou regionais porque pensam que é justo lutar contra os vencedores, os regimes mais ricos e eficientes. As multinacionais tornam-se um dos principais objetivos dos terroristas e vândalos. Os slogans de um século atrás só continuam em países mais atrasados. As multinacionais abandonam os regimes mais instáveis e menos seguros. E aqui surge uma diferença atual entre esquerda e direita: os USA lideram os que pensam que é seu dever moral impor democracias onde reinam ditaduras, genocídios e apoio do terrorismo; as esquerdas, sobretudo as da oposição europeia actual , opõem-se à guerra talvez mais para se oporem ao partido de direita no poder e aos USA. Dizem que o terrorismo resulta das guerras e injustiças e os americanos são colonizadores.
Quando Clinton, (esquerda americana), e D´Alema, (esquerda italiana), com poio da maioria "occidental", fizeram a guerra no Kosovo, algumas esquerdas acusaram-nos de assassinos. Esquecem que uma guerra com 10.000 mortos pôs fim a uma guerra que já tinha matado 250.000.
Essa divisão entre pacifistas da esquerda e da direita tem variado ao longo da História: os comunistas italianos aplaudiram as invasões da Hungria e Checoslováquia da parte da ex-URSS. Mas estiveram em primeira linha contra as guerras americanas do Vietname, Iraque, Afeganistão e Síria.
Hoje, 2004-08-26, penso que os USA, (1), representam a vanguarda da cultura "ocidental", (2), não só do ponto de vista económico, mas também de ética global. Os interesses económicos representam e representaram quase sempre a motivação principal das guerras, mas pode ser mais ou menos ética. O petróleo do Iraque no tempo de Saddam serviu para guerras, terrorismo, corrupção, luxo de uns com a miséria de outros. Segundo senti várias vezes na tv de Itália uns 70% do petróleo serviu para esses fins. Não duvido que com os USA servirá melhor os mercados internacionais e reconstrução do Iraque.
Em Itália encontram-se posições extremas na escritora mais famosa e que vende mais livros sobre o assunto: Oriana Fallaci e no fórum www.itlaia.indymedia.org .
Mais, (3):


"JUSTIÇA SEM FRONTEIRAS": http://xoomer.virgilio.it/jiimm/jsf.htm

 DIÁRIO DE LUTA CONTRA O SPAM: HTTP://XOOMER.VIRGILIO.IT/JIIMM/DL0305.HTM 
ONU, GLOBALIZAÇÃO E GOVERNO MUNDIAL
ONU, WEB-GLOBALIZAÇÃO DA INFORMAÇÃO, ÉTICA E JUSTIÇA
CONRA O SPAM
SPAM, ÉTICA GLOBAL E CONSUMISMO
JUSTIÇA SEM FRONTEIRAS  
Nota: Escrevo USA e não EUA porque penso que uma linguagem global prioritária será um dos meios mais necessários e importantes para construirmos uma fraternidade universal futura. Para isso convido todos os povos a usarmos o mesmo termo, de preferência o que já é mais usado, e não traduzirmos palavras novas. Se concorda divulgue esta ideia e se não concorda comente-a. Mais sobre o assunto: http://xoomer.virgilio.it/jiimm/wl.htm .
Sugiro o uso de USA em vez de EUA porque:
Tempo é vida e se todo o mundo deixar de traduzir siglas, nomes próprios, novos nomes, etc. economizamos milhões de horas no futuro. Mais:
O mundo globaliza-se e uma língua global pode ser o melhor meio de favorecer uma melhor convivência global.
O uso standard de termos internacionais facilita os programas de pc, uso de Internet, pesquisa, investigação, etc. Na medida em que caminharmos para uma linguagem única estamos a oferecer um presente de eficiência e economia de tempo às gerações futuras.
Cultura "ocidental": originária da Europa Ocidental, talvez possamos colocar o início nos valores proclamados pela Revolução Francesa, exportada primeiro para os USA e para parte do Oriente, especialmente Japão. Caracteriza-se sobretudo pela democracia política e pela liberdade de opinião, de culto e de ideologia. No seu oposto encontra-se o terrorismo islâmico dos que odeiam e lutam contra os "infiéis" por motivos religiosos revivendo as guerras religiosas da Idade Média, regressando ás origens dos profetas guerreiros islâmicos. Com a globalização muitos orientais islâmicos moderados assimilaram a cultura ocidental e muitos ocidentais uniram-se aos terroristas islâmicos contra a civilidade Ocidental. Há fóruns ocidentais a quase 100% contra USA, Israel, falando de Saddam ou Osama Bin Laden quase só para os defenderem e dizerem que são um produto americano. De facto, o pragmatismo americano usou-os quando a prioridade política era a luta contra o comunismo.
Sugiro os termos e abreviaturas: T&L=TAGs e Links,  zap, ou z@p, ou zaping, ou more, ou  >>> para mais links, bibliografia ou informações de aprofundamento na sequência do assunto tratado. Proponho a constituição de uma comissão internacional, (dependência da ONU ou UNESCO), que trabalhe para a criação de um dicionário ou enciclopédia da linguagem global contribuindo assim para a generalização do termo com mais vantagens. Enquanto não existir nenhuma hierarquia linguística global proponho a colaboração de voluntários para a criação da futura linguagem global e promoção das ideias que cada um considera melhores. Proponho que cada um escreva por ordem de prioridade os termos que considera melhores, a começar pelo mais compreensível ou pelo que em sua opinião deve tornar-se termo universal prioritário. Por exemplo eu hoje escreverei: "Mais, T&L, >>>" porque é mais compreensível em português mas pode acontecer que no futuro seja difuso o símbolo >>> ou zap, (avreviatura de zapping).
P.S. Imagino que o comentário que segue faz parte de um esquema de spam automático: “Anonymous has left a new comment on your post " ÉTICA, GUERRA, TERRORISMO E CULTURA OCIDENTAL":
I'm impressed, I have to admit. Rarely do I encounter a blog that's both educative and interesting, and without a doubt,
you have hit the nail on the head. The issue is something which not enough people are speaking
intelligently about. Now i'm very happy that I stumbled across this during my search
for something concerning this. my web site diet tips … fitness goals

Posted by Anonymous to USA-ONU at September 30, 2014…”


3 comments:

PiresPortugal Neo-Machiavelli, Serip said...

Neste meu blog em português aparecem comentários em inglês sem nenhuma relação com o argumento. Todos estes comentários poderiam ser uma fonte de receita para a ONU salvar milhões de crianças a morrer de fome. Bastaria uma J3M=Justiça em 3 Minutos de um TIO=Tribunal Internacional da ONU que aplicasse o princípio mais elementar de justiça: quem causa um danos social deve pagar para as vítimas ou para um fundo da ONU ao serviço dos que mais precisam e das vítimas de injustiças. Este tribunal poderia aplicar multas a quem causa danos. Quem pagasse e se convertesse a comportamentos sociais receberia prémios em promoção. Quem não pagasse poderia receber pressões psicológicas da comunidade online para se converter e evitar danos sociais ou boicote dos principais motores de busca, “MOL=Morte-On-Line” dos piores. A ONU em colaboração com o melhor da comunidade online poderia fazer uma revolução da exclusão dos piores e promoção dos melhores, dos que economizam tempo online e produzem mais benefícios universais ou globais.
Ao rever este post encontrei muitos dos meus links aos meus post em outros blogs que desapareceram sem me avisar. Mas o pior que encontrei foi em vez do meu blog um site que que o meu antivírus considera de phishing. O meu blog desapareceu e em seu lugar aparece agora um site de phishing? Ao lincar o meu blog:
www.dimm.weblog.com.pt aparece: “Site bloqueado!
G Data Internet Security 2014 tem negado o acesso a este site.
Este é um site de phishing conhecido.
Phishing encontrado ao abrir páginas web.
Endereço: http://www.aeiou.pt/
Status: Acesso negado.
Apareceram muitos comentários em inglês de pura publicidade sem nada a ver com o assunto. O pior que encontrei não te a vergonha de se considerar ético: “... a nossa ética de trabalho - nós fazemos os nossos membros o número um, garantindo seus interesses são a nossa principal preocupação, oferecendo um nível de serviço que sempre supera as expectativas; trabalhamos em parceria contínua e transparência para reconstruir a confiança dos consumidores nos mercados comerciais e de varejo para negociar ferozmente os melhores preços possíveis com os fornecedores para ajudar nossos membros a alcançar o sucesso em minimizar as despesas, contas da casa, e colocando dinheiro em seus bolsos. Finalmente, além da busca de nossas conquistas e metas, nos lembramos do ônus da humanidade e se esforçam para dar algo de volta para o infeliz e necessitados da sociedade...” Todas estas lindas palavras contrastam com a prática pouco ética de colocarem links em inglês de computadores na Austrália num blog em português. Não será anti-ético ou mesmo criminoso roubar o tempo online com comentários e links onde não tem nada a ver com o assunto?

PiresPortugal Neo-Machiavelli, Serip said...

Tenho a impressão de encontrar pérolas no lixo: algumas ideias poderiam ser preciosas para o futuro online e outras não. Mas o tempo de selecionar o melhor do pior pode ter um valor superior ao melhor encontrado? Ou a simples tentativa de selecionar o melhor pode ser um contributo ao desenvolvimente da criatividade e inteligência? A minha metodologia dos "PeBooks" e "CeBooks" terá futuro para a evolução das melhores ideias dos melhores com a colaboração da criatividade e inteligência coletiva?

PiresPortugal Neo-Machiavelli, Serip said...

Imagino que o comentário que segue faz parte de um esquema de spam automático: “Anonymous has left a new comment on your post " ÉTICA, GUERRA, TERRORISMO E CULTURA OCIDENTAL":
I'm impressed, I have to admit. Rarely do I encounter a blog that's both educative and interesting, and without a doubt, you have hit the nail on the head. The issue is something which not enough people are speaking intelligently about. Now i'm very happy that I stumbled across this during my search for something concerning this. my web site diet tips … fitness goals ... Anonymous to USA-ONU at September 30, 2014".

USA e ONU são dois exemplos muito diferentes de globalização. Com o contínuo desenvolvimento de Internet e novas tecnologias torna-se cada vez mais urgente um governo, justiça, ética, moral, deontologia, civilidade e boas maneiras de comportamento online e em tudo o que tem mais consequências globais, não tem fronteiras. Mas será melhor o pragmatismo de USA ou burocracias da ONU?