Friday, June 02, 2006

Iraque, torturas, Saddam, USA, opinião pública, nova informação e história
Eu passei horas a procurar “torturas” na Internet antes de encontrar uma com o que me parece evidente: as torturas americanas no Iraque são insignificantes comparadas comas torturas de Saddam. Milhares de informações falam das torturas americanas que foram feitas de poucos e foram condenados. Imagino que essas torturas foram feitas a alguns terroristas para conseguir informações contra o terrorismo e evitar a morte de muitos inocentes. Ao contrário das torturas de Saddam e dos actuais terroristas que são feitas contra inocentes voluntárias humanitárias que foram para o Iraque por uma vocação social de ajudar os mais pobres. Os torturadores americanos foram condenados à prisão e os terroristas que cortam a cabeça a voluntárias humanitárias ocidentais foram votados por 94% dos espectadores de uma TV islâmica como heróis. Certa informação Ocidental que acusa mais os americanos do que os terroristas dão força ao terrorismo e contribuem para a sua força, para a continuação do terrorismo.
Informações sem provas de possíveis torturas a terroristas que poderiam evitar a morte de muitos inocentes escandalizam mais do que cortar a cabeça de voluntárias humanitárias: “ A grande “democracia” dos Estados Unidos deslocalizou tortura : A Human Rights Watch disse que a Roménia e a Polónia eram países onde possivelmente existiriam centros de detenção secretos dirigidos pelos Estados Unidos, apesar de ambos os países terem negado naturalmente qualquer envolvimento. Apesar de ainda não terem sido encontradas provas formais e irrefutáveis da existência de prisões secretas na Roménia, na Polónia ou em qualquer outro país, «há muitas indicações de várias fontes consideradas fiáveis que justificam a continuação do trabalho de investigação», conclui o relatório. Isto prova mais uma vez que esta democracia é podre e é urgente a sua substituição. - Francisco Trindade http://www.franciscotrindade.blogspot.com ".
Imagino um historiador do futuro que encontra milhares de informações piores sobre as torturas americanas do que sobre as dos terroristas islâmicos... só de uma única americana que humilhou prisioneiros encontra mais e piores informações do que milhares de civis torturados até à morte do regime de Saddam. Come se escreverá a história do futuro?
Um dos fóruns mais populares de Internet é também dos mais anti-americanos e as minhas intervenções ou comentários causam antipatia e ódio contra mi:
Estaline, ditaduras, CMI e anarquia no seu melhor e pior
Paz e processo a Bush ou aos pacifistas parciais de Saddam, Che Guevara e Osama?
Salvar milhões com algumas torturas a mais...? Sempre que vejo certa “informação civil ocidental” a escandalizar-se tanto pelas torturas americanas e pena de morte penso que com algumas torturas e pena de morte a mais se salvariam muito mais de piores torturas e morte. A pena de morte condicional aos que não se convertem, não colaboram e continuam na criminalidade depois de uma primeira condanna não seria mais justa daquela aplicada por Che Guevara aos vencidos?
...
"sobre o que Che Guevara tem a ver com Saddam ou com Bush?"
Todos combatem por "ideais", mais ou menos justos conforme os pontos de vista. Todos mataram inocentes ou causaram a morte de alguns para salvar a de outros ou seus ideais. O ridiculo dos "pacifistas de Che Guevara" é desconhecerem que ele preferia uma guerra atomica à saida dos misseis russos de Cuba.
http://pt.indymedia.org/ler.php?numero=71952&cidade=1&forcarcomentarios=S#71968
Paz e processo a Bush ou aos pacifistas parciais de Saddam, Che Guevara e Osama?
Comentários
Cuanhama+Mandume em 04-03-2006:
Por favor há-des ser mais explicito sobre o que Che Guevara tem a ver com Saddam ou com Bush . São idiologias totalmente diferentes , são comportamentos distintos , foram objectivos opostos e por fim enquanto o Che lutou em defesa dos mais vulneráveis e excluidos da sociedade ,infelizmente a actuação destes( Senhores)foi e tem sido inversa aos principios que o Che deu a vida .
...
Os pacifistas parciais não se manifestaram quando Saddam que invadiu Kuwait mas quando Bush o obrigou a retroceder. Se não fossem os pacifistas parciais talvez Saddam tivesse sido julgado na primeira guerra do Golfo, não seria necessária a segunda, talvez o Iraque tivesse progredido em dez anos de democracia. >>> http://portugal.indymedia.org/ler.php?numero=71859&cidade=1
«Os últimos pronunciamentos de Rumsfeld incluíram uma defesa do sistema do Pentágono de comprar notícias favoráveis no Iraque com subornos – «meios não tradicionais para prover informação exacta» foi a sua fantástica descrição desta última tentativa de ocultar o colapso do regime americano em Bagdade – e um ataque às nossas reportagens sobre as torturas em Abu Ghraib. «Considerem por um momento a vasta quantidade de colunas escritas e as horas de televisão dedicadas ao abuso [sic] de detidos em Abu Ghraib. Comparem isso com o volume da cobertura e as condenações associadas com, digamos, a descoberta das fossas comuns de Saddam Hussein, que estavam cheias de centenas de milhares de iraquianos inocentes».
Da informação de Itália e Indymedia parece precisamente o contrário: Mil vezes mais escândalo por “torturas” americanas que não passaram de humilhações sexuais do que por milhares de torturados até à norte de Saddam.
“Denunciemos esta mentira compulsiva. Denunciávamos o vil regime de Saddam, especialmente o seu uso de gases venenosos, há tanto como desde 1983. Vi ser­me recusado um visto pelos sátrapas de Saddam por ter denunciado as suas vis torturas em... Abu Ghraib. E o que estava a fazer Donald Rumsfeld? Visitava Bagdade, rebaixando­se ante Saddam, a quem não mencionou os assassinos nem as fossas comuns, dos quais sabia, e rogando à Besta de Bagdade que reabrisse a embaixada dos EUA no Iraque.”
Os americanos são inteligentes em política, diplomacia e economia: quando era prioritário o apoio de Saddam para combater males piores toleravam os menores.
Paz e processo a Bush ou aos pacifistas parciais de Saddam, Che Guevara e Osama?
Para certa informação é mais importante atribuir as culpas à polícia de um morto dos “seus” do qual não se sabe a certeza do que falar dos dois mil polícias mortos vítimas da criminalidade: Policia assassina jovem em Itália .

Fome, miséria e contrastes da informação
Milhares de informações falam das torturas americanas no Iraque que são insignificantes comparadas comas torturas de Saddam. Milhares de informações falam das torturas americanas no mundo que são insignificantes comparadas com as torturas de outros e os males que evitaram. Ou sem os americanos a Europa estava dominada pelo comunismo russo, nazismo, fascismo ou terrorismo islamico? E no resto do mundo?
Num país a maioria católico como Itália, certa informação parece mais pró-islâmica. Medo, cobardia, populismo anti-americano, masoquismo ou hipocrisia?
"Gisberta, a sem-abrigo brasileira ...Sofreu um fim horroroso, ... Rute, uma outra transsexual que a conhecia e chegou a trabalhar com ela em melhores tempos fazendo espectáculos de cabaret, comoveu até às lágrimas ..."
Esta tem honras de primeira página em Portugal. Em Itália tive uma informação contrastante:
Transexuais brasileiras, (os), ganham por mês "20.000 com poucos minutos por dia confessando que lhe dá prazer o "trabalho" que fazem. (Fonte: TV, "Iene", Italia1).
Morreram cerca de duzentas pessoas numa semanas, entre os quais dois padres católicos que ajudavam pobres em regimes islâmicos, nos assaltos a embaixadas italianas e igrejas católicas em regimes islâmicos. As culpas foram todas atribuídas por quase todos os meios de informação ao Ministro da Lega Calderoli, que na Rai , Tg1, abriu alguns botões para mostrar que dentro tinha uma camisola com caricaturas de sátira, (ao Islão, suponho, porque essas imagens nunca as vi). Curioso que vi dezenas de vezes nessa mesma semana as imagens das "torturas" dos prisioneiros do Iraque, com o mais famoso torturado a dizer mentiras contra Itália e as suspeitas não confirmadas de italianos a participar. Numa TV pública com 85% de jornalistas da esquerda em período eleitoral fazem mais notícia mentiras contra Itália que possam ser orientadas contra Berlusconi do que verdades anti-islâmicas.
Durante cerca de uma semana devo ter sido dos poucos fora dos seu partido a defender Calderoli e a explicar que era ridículo atribuir a uns botões abertos da camisa tanta violência. Na TV de Italia só uma semana depois encontrei dois directores da informação a defender algumas das minhas ideias: 2006-02-26, Vittorio Feltri em La7 e 2006-02-27 Director de "News" em MCS, C5.
Na África foram sequestradas 20.000 crianças para serem vendidas como escravas sexuais ou adestradas a militares.
Curioso como "o mais famoso torturado do Iraque" a confessar 3 dias de torturas e a dizer mentiras ou informações suspeitas não confirmadas contra Itália tem mais honras de primeiras páginas do que as 20.000 crianças sequestradas, as centenas de vítimas do terrorismo no Iraque, as vítimas dos ataques contra cristãos em regimes islâmicos, os 20.000 que morrem de fome.
Curioso que “O conteúdo desta notícia foi considerado pelo colectivo indymedia como incitação à transfobia, à violência e à exclusão, estando por isso em desacordo com as nossas convicções e objectivos.”

1 comment:

SERIPires, SERIP-magic-shows, PiresPortugal said...

Procuro colaboração para um blog colectivo que pode contribuir a criar um curso de jornalismo ou um ebook com estes argumentos:
FOC=factos, opiniões e crenças na informação tradicional, novas tecnologias, profissional e amatorial.
ELP=eletronic-learning-press=jornalismo profissional online.
NUN=New-United-Nations=ideias e sugestões para um governo global da ONU do que é global, com mais poder e melhor democracia internacional.

USA e ONU são dois exemplos muito diferentes de globalização. Com o contínuo desenvolvimento de Internet e novas tecnologias torna-se cada vez mais urgente um governo, justiça, ética, moral, deontologia, civilidade e boas maneiras de comportamento online e em tudo o que tem mais consequências globais, não tem fronteiras. Mas será melhor o pragmatismo de USA ou burocracias da ONU?